Categorias
Games

VALORANT – Jogatina surpreendentemente boa e simples

VALORANT, o novo da Riot Games, chega em beta já mostrando que tem tudo para ser um novo grande sucesso da empresa.

Nos últimos dias, todo mundo que gosta de FPS está louco por uma chave de ativação do VALORANT, para este período onde o game ainda está em sua faze beta. Streams do jogo na Twitch nunca estiveram tão populares, por conta disso: É somente assistindo a uma que você pode receber uma chave. Eu fiquei pendurado em streams do jogo nos últimos dias, mas consegui finalmente ser escolhido para o beta. E te conto as impressões que tive nas duas partidas que eu joguei, até o momento.

Tá muito bonito – e tá tudo traduzido

Logo de cara, você é surpreendido com as belas artes do jogo feito pela Riot Games (a empresa do League of Legends e, agora, do VALORANT), com um estilo próximo ao cartunesco, mas que não peca ou tenta ser totalmente.

Antes de entrar numa partida real, você é levado a jogar um tutorial de como o jogo funciona. Você acaba percebendo que o jogo não tentou reinventar a roda, e todos os comandos que você já se lembrava de Counter Strike estão ali, nas mesmas posições, por bem ou por mal.

Mas o que mais chamou-me a atenção, foi o fato de que o jogo já chegou localizado. Está 100% em português, com menus totalmente em nosso idioma, personagens com vozes conhecidos das dublagens da TV e cinema e, até agora, não me deparei com nenhum erro de tradução.

Agora, só tenta não enlouquecer tentando descobrir onde raios ficam as configurações da mira no menu de configurações. Eles a chamam de “retícula”, por algum motivo.

Ser bom em FPS ajuda em VALORANT – o que não é meu caso

Apesar da boa jogatina e nada aparentar estar em um estágio não acabado, nada vai adiantar se você não souber jogar FPS. Principalmente quando você não tem um bom domínio da mira, como foi meu caso.

Várias vezes eu mirei para o lado errado. A mira é tão precisa no jogo, que não ter o alvo centralizado pode significar um erro.

Há também outros aspectos. Eu nunca fui muito bom em jogar Counter-Strike. Sempre me atrapalhei entre pegar a metralhadora, mudar para a granada e voltar para a metralhadora. Mas isso era uma coisa, quando eu só precisava teclar um dos números de 1 a 4, acima do W, Porém, Valorant traz habilidades, e o acesso a elas é na tecla E. O que é péssimo, já que o jogo também faz recarregamento de balas na tecla R. Foram vários, os momentos onde eu ativei habilidade no jogo sem ao menos ter querido.

Apesar dos problemas, saber que eu estou em pé de igualdade com os outros jogadores, no quesito ferramentas, é ótimo. Valorant, assim como League of Legends, será suportado pelo modelo de venda de skins, sendo que todos os campeões do jogo estão acessíveis para o jogador no início da partida. Ou seja… Ser bom ou ruim só depende de você.


A gameplay do que jogue foi suficiente para entender como o jogo funciona – e funciona bem. Me fez querer jogar mais partidas, para ir melhorando cada vez mais. A Riot está mostrando que tem talento para não “só” a empresa do League of Legends.

Por Henrique Picanço

Estudante de jornalismo, apaixonado pela cultura geek há muito tempo. Comecei a gostar ainda na infância, dos super-heróis animados pela manhã. Na adolescência, me voltei para os animes e mangás e, recentemente, comecei a me interessar realmente por Marvel, DC, Star Wars e companhia bela.