Categorias
🖖 Geek

O Caldeirão Mágico – Fracasso compreensível

A Disney teve sua época sombria. Porém, acabou com um dos seus piores filmes. “O Caldeirão Mágico” deu errado, e vendo você percebe o motivo.

Nos anos 1980, a Disney estava imersa numa onda de fazer filmes com um ar mais sombrio. Ter um pouco de violência, uns personagens com aparências macabras e uma história de superação do guerreiro frente a esse mal tão assustador. Menos mágica, mais ação e aventura. Alguns bons filmes saíram dessa época. Porém, essa época não durou muito. E o culpado é O Caldeirão Mágico.

O filme conta a história de Taran, um garoto que tem que proteger uma porquinha capaz de revelar a posição de um caldeirão negro, item mágico de muito poder. Porém, um ser maligno, chamado de Rei de Chifres, também está atrás desse caldeirão – e quer usar a porquinha para descobrir a localização desse artefato.

O filme, em si, traz a reconhecida qualidade gráfica da Disney. Com uma animação 2D, é um filme visualmente padrão, para o que a Disney já vinha produzindo, historicamente. Porém, a história foge completamente ao que a Disney nos acostumou. Nos seus pouco mais de uma hora e vinte minutos, o filme vai de um início interessante a um final totalmente chato. Os personagens são terrivelmente massantes, principalmente o protagonista. Os seus erros são tão crassos, que ao invés de compadecer com sua luta, você pode acabar torcendo contra.

Algumas coisas, neste filme, parecem joga contra o seu enredo, na verdade. Também incluo o “personagem fofo” Gurgi, uma criatura da floresta, falante, que ninguém tenta explicar o que é. Apenas está lá para ser um personagem totalmente esquecível. Nas vezes onde ele se tornava o centro das atenções, eu só me perguntava o por quê da existência de tal criatura.

É como se o Jar-Jar Binks tivesse caído no universo Disney, muito antes disso realmente acontecer.

O filme tem tantas imperfeições, que achar uma coisa positiva é difícil. E isso é uma ótima métrica para explicar o fracasso de bilheteria que este filme foi em 1985, no lançamento. Um filme com orçamento de pouco mais de US$ 44 milhões, conseguiu arrecadar pouco mais de US$ 22 milhões, no mundo inteiro. Um dos maiores fracassos da Disney, em toda a sua história, se ainda considerarmos que, para a época, este filme foi o longa de animação mais caro já produzido.

Foi o último filme “sombrio” da Disney. Com razão.

4/10

Por Henrique

Tudo começou a desmoronar quando, aos 15 anos, fui aconselhado a assistir "Death Note" na Netflix, recém-chegada ao Brasil na época. Desde então, venho manejando minha lista de waifus mês após mês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *